Meu Recanto.

Fascinar-se a cada amanhecer.

Textos

Saudades da Vida
   Pressinto-me sem dia
   Na noite longa e sem guia
   Descortino as janelas
   Abro as portas do tempo
   De saudade me visto
   Me vejo sem máscaras
   Sem riso e sem graça
   Não encontro meu elo
  Me perdi nos compassos
  Da orquestra do tempo
  E me acho sem métrica
  Com saudades da vida.
  
Caminho do Invisível/DiulindaGarcia.
A.S.Editores,2006.
Diulinda Garcia de Medeiros
Enviado por Diulinda Garcia de Medeiros em 28/08/2007
Alterado em 01/05/2011


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras