Meu Recanto.

Fascinar-se a cada amanhecer.

Textos

Despedida
Pai,hoje nos reunimos com saudades de tua presença física em nosso convívio diário,mas não viemos celebrar a tua morte.Estamos aqui para celebrar a nossa crença no que transcende,vai além dos limites da finitude terrena dessa existência material e passageira,portanto.

Confortámo-nos  em acreditar,ser indissolúvel e infinita a essência humana,mesmo assim fraquejamos diante da finitude inevitável da matéria.Ficamos atônitos,fragilizados,fora do contexto da fé que sempre nos acompanhou.Era a tua partida definitiva enquanto matéria,embora soubéssemos que em um breve tempo já não estarias entre nós,nos sentimos sem chão,diante do inexorável que é a morte.

Buscamos a aceitação e a resignação para que pudéssemos prepará-lo
e acompanhá-lo à estação de tua última viagem terrena,onde deixas-te o fardo da matéria e tua essência prosseguia acompanhada
pelas nossas preces,para que a fé se fizesse em teu espírito
iluminando-o e dando-te a certeza de que nada devias temer.Em uma
das moradas do PAI,uma recepção de amor,de luz e de perdão esperavam o teu retorno como filho amado.

Retornavas finalmente à casa PATERNA após cumprir os desígnios de  DEUS aqui na terra,enquanto nós apoiados na fé cristã,buscamos serenidade para acessarmos os arquivos de tua história construída com dignidade e honradez,vivenciando a intensidade das recordações e da saudade com a certeza de um dia reencontrá-lo no mistério da transcendência divina,onde o AMOR se faz prevalente sobre todas as coisas.  
Diulinda Garcia de Medeiros
Enviado por Diulinda Garcia de Medeiros em 17/05/2013
Alterado em 21/05/2013


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras